Saldo de novas empresas é maior do que acumulado de 60 anos, e Goiás alcança marca de mais de 90 estabelecimentos abertos por dia, em 2021

Número de 33 mil CNPJs, registrados nos últimos 12 meses, supera o do período de 1941 a 2003 (19 mil), de acordo com levantamento da Junta Comercial do Estado de Goiás (Juceg). Crescimento em relação a 2020 é de 27%. “Não existe nenhum programa social mais importante, e com maior capacidade de dar qualidade de vida e cidadania às pessoas, do que o emprego”, afirma governador Ronaldo Caiado   

O saldo de empresas abertas em Goiás, ao longo de 2021, é responsável por mais um recorde batido pelo governo estadual. Nos últimos 12 meses, 33.092 novos empreendimentos foram constituídos, o que representa mais de 90 estabelecimentos abertos por dia. E mais: o número absoluto é maior do que o registrado no acumulado de 1941 a 2003 (19.003) e 27% superior ao de 2020, recorde anterior, quando foram formalizadas 26.018 novas empresas, incluindo os microempreededores individuais (MEIs).         


“Vamos entregar Goiás entre os melhores Estados do País do ponto de vista de geração de emprego e renda”, destaca o governador Ronaldo Caiado. “Não existe nenhum programa social mais importante, e com maior capacidade de dar qualidade de vida e cidadania às pessoas, do que o emprego”, complementa. 

As estatísticas são da Junta Comercial do Estado de Goiás (Juceg) e entregam um saldo positivo entre aberturas e fechamentos, já que o número de empresas extintas somou 14,7 mil. Depois de Goiânia (290 mil), os municípios que mais atraíram investimentos em 2021 foram Aparecida (66 mil), Anápolis (54 mil), Rio Verde (28 mil) e Valparaíso de Goiás (21 mil).

Além da retomada da economia, após os reflexos da pandemia, alguns movimentos contribuíram para este impulso do empreendedorismo, como a busca por recolocação no mercado de trabalho e novas oportunidades. O perfil das novas empresas evidencia aquecimento de setores mais afetados - a construção civil e o comércio varejista, que ficaram por longos períodos paralisados como forma de conter novos casos de Covid-19. O crescimento dos serviços combinados de escritório e apoio administrativo também mostra a nova tendência de mercado, com ascensão de vagas remotas e de assessoria. 

Para o presidente da Juceg, Euclides Barbo Siqueira, os dados "demonstram que o nosso Estado, sob a gestão do governador Ronaldo Caiado, conseguiu se planejar frente ao cenário pandêmico, o que facilitou a vida do empreendedor, por meio de incentivos para a retomada da economia”. Ele ainda acrescentou: “É fato a melhoria do ambiente de negócios; também a tecnologia à nosso favor, a prova é de que a Juceg continua no ranking das juntas mais ágeis do País”.